Luiz Henrique

Talvez por teimosia ou puro exercício de fé, ainda acredito na natureza humana ...

Textos


“Esperança”
(Luiz Henrique)

Deixo aberta, escancarada
As portas do meu coração
E tu nunca percebes nada
Faz todo meu esforço vão

Tem sido assim há tempos
Navego no mar da paixão
Calmaria de poucos ventos
Solitários: Eu e o timão

Mas não perco a esperança
De um dia você me enxergar
Quem espera sempre alcança
Hei de um dia te conquistar

Fincar mastro e bandeira
Fazer de nós dois um inteiro
Amante, cúmplice e parceira
Do teu corpo e alma posseiro

Mas isso tudo é um sonho
E por isso, talvez, irrealizável
Sequer percebes, suponho
Pra você, a relação é amigável

Um dia supero o abestado receio
Declaro expressamente, sem pudor
Que desta antiga amizade adveio
Unilateral, secreto e silente Amor

 
Luiz Henrique Noronha
Enviado por Luiz Henrique Noronha em 27/07/2013
Alterado em 27/07/2013
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Luiz Henrique). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras